Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

O CAVALO VENTANIA (Infantil)

O CAVALO VENTANIA





Certo dia, o cavalo ventania
Era assim chamado o lindo alazão
Porque, como o vento ele corria
E, era o melhor de toda a região,

Quando de uma cidade a outra levava
Sua dona, a fazendeira, em montaria,
O percurso era longo, a noite chegava
Sem lua, sem estrelas, nada se via...

A trote ou a galope, seguia em frente
Galgando uma a uma as milhas de distância,
Quando um lobo o atacou de repente
Ergueu as patas dianteiras com jactância!

Acertou o lobo com toda a violência.
Na inesperada e brusca arremetida,
A cavaleira surpreendida, em seqüência...
Cai ao chão, ficando desfalecida.

O lobo já se dispunha a atacá-la,
Quando o ventania, em nova arremetida
Saltou, para entre as patas deixá-la
E assim, proteger a sua vida,

Só os raios de sol, do clarear do dia
Viriam a acordar a desfalecida...
Espantada... em baixo do ventania,
Que a protegia do lobo, ser comida.

São Paulo, 22 de agosto de 2004
Armando A. C. Garcia

Visite meus blogs:
http://brisadapoesia.blogspot.com
http://preludiodesonetos.blogspot.com
http://criancaspoesias.blogspot.com
 


Direitos autorais registrados
Mantenha a autoria do poema
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário