Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Na Grande Desventura (Soneto)

Na Grande Desventura


No infortúnio, na grande desventura
Pela ação acre do tempo fustigado
É quando o homem rente à sepultura
Lembra de Jesus para ser perdoado

E num tom insinuativo faz crer
Como desafio à condição humana
Que fé em Deus sempre dizia ter
Porém, na tresloucada vida insana

Nunca socorreu ninguém ou deu carinho
Nem ofertou um ramo de flor em sua vida
Não consolou a mágoa, tirou o espinho

Sua busca é tardia, descomedida
O infortúnio, hoje o devora, é seu vizinho
...Mas Jesus, perdoa, a graça é concedida !

São Paulo, 25/05/2010
Armando A. C. Garcia

E-mail: armandoacgarcia@superig.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário