Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

NA BOCA ... (Soneto)

Na boca ...

Na boca, quando o fogo da paixão cintila
É desejo de quem espera outra boca beijar
Na aparência é sentimento que rutila
Entre dois peitos que estão a se abraçar

O beijo é o sacro silêncio dos amantes
Que ateiam fogos imensos da labareda
Onde mergulham juntos e ofegantes
Num ritmo célere de quem ao amor proceda

Bem mais forte que o galope de um cavalo
Numa alternância de intensidade e vigor
Queima em suas bocas o sopro que nem halo

Momento êxtase supremo do amor
É o congraçamento real, o embalo
Quando a natureza exulta ao criador

São Paulo, 03/03/2010
Armando A. C. Garcia

E-mail: armandoacgarcia@superig.com.br 

Nenhum comentário:

Postar um comentário