Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Loucuras de um Amor (Soneto)

Loucuras de um Amor


Despudoradamente tu enganas
Com promessas de amor meu coração
Deixas cicatrizes, marcas ciganas
Punhal cravado em preito à emoção

E exangue* de dor e sofrimento
Desfalece aos juramentos de amor
Não sabe se de dor ou contentamento
Pelas migalhas que tu lhe dás de amor

E nesse querer, **abissal destino
Nas garras desse amor que o consome
Chega a julgar ser um grande cretino

Pelo amor que o prende em desatino.
No pensamento já difundiu teu nome
Que sendo adulto, é igual a menino

São Paulo, 16-10-2009
Armando A. C. Garcia
                           
* sem sangue; exausto            ** espantoso; enorme - fig. enigmático


Visite meus blogs:
http://brisadapoesia.blogspot.com
http://preludiodesonetos.blogspot.com
http://criancaspoesias.blogspot.com
 


Direitos autorais registrados
Mantenha a autoria do poema
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário