Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

... DO ROSTO DA DONZELA!

... DO ROSTO DA DONZELA !


Eis o que sobrou do rosto da donzela
Turva náusea que a mascara dissimula
Envelheceu tão de repente, qual mazela
Que tirou dela seiva que a estimula

Seus olhos pálidos, macilentos, sem brilho
Já estrangulada na garganta sua voz
Para abafar o nefasto espartilho
Força invisível que lhe sustenta o cós

Dos encantos da adolescência desprovida
- Das púrpuras eras foste esquecida
Hoje, por piedade, alguns te dão bom-dia

Sem exprimir ternura, nem mesmo alegria
Insólita ruína, extensão da sina dorida
O esvoaçar da idade no sonho se estendia

São Paulo, 06/03/2009
Armando A. C. Garcia

E-mail: armandoacgarcia@superig.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário