Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

A Confidente... (Infantil)

A Confidente...

Margarida, tinha como sua confidente
Ana Maria, uma ruiva inconfidente !
A quem contava seus amores com João
Enfim, abria a porta do seu coração

Quando João, beijou pela primeira vez
Suavemente, o cálido rosto de sua tez
Margarida contou a amiga Ana Maria
Que, empalideceu de inveja, e com ironia

Disse que jamais o deixaria beijar
Que o ato impensado da amiga, é impar
Porque o João, não é homem para casar
E além do mais, não é bonito para namorar

Margarida, sentiu-se atormentada
Pois a melhor amiga, fazia caçoada
Afastou-se de João, sem mais nem quê
E se este a procurava, não arredava o pé

Ana Maria, foi-se acercando de João
Com o tempo, conquistou-lhe o coração
Um dia, casualmente Margarida numa rua
Encontrou a amiga, despudorada e nua

Encostada num muro, em prática obscena
Adivinhem quem era o protagonista da cena
João, aquele que a beijou suavemente
E o vê agora naquele ato deprimente

São Paulo, 27/01/2011
Armando A. C. Garcia

Nenhum comentário:

Postar um comentário