Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

ARROJO DIFUSO (Soneto)

ARROJO DIFUSO


Num arrojo difuso e enfadonho
Vaguei toda noite, vaguei no sonho
Acordei desencantado, só, em mim
A boca que beijei, lábios de carmim

Pelo espaço sem fim se enfadou
Cenário de ilusão, no peito calou
Fui amado, sem amante, mutação
Perdulário instante de confusão

Sentidos maquilados, sonhador
Que em frente ao mar numa miragem
Sonda o íntimo a alma e seu fragor

Na cena do embarque nessa viagem
Sua vida aporta no cais do Criador.
Ali parou barca, sonho e coragem

São Paulo, 15/06/2010
Armando A. C. Garcia

E-mail: armandoacgarcia@superig.com.br



Nenhum comentário:

Postar um comentário